terça-feira, 22 de junho de 2010

silêncio


Bateu à porta de repente, abri mas estava o silêncio à espera. Perguntei o que queria? Ele respondeu que precisava de alguém com quem falar. Mas hoje, nem eu estava para o escutar e ficamos os dois sentados a olhar um para outro. Permaneceram dois tristes silêncios à espera que algo aconteça. O silêncio vem de mansinho e quando é desejado sabe bem saborear, faz bem para pensar mas quando se está demasiado tempo em silêncio apercebemo-nos da existência da solidão. Abri a porta e em silêncio o silêncio entrou, fechei a porta e o silêncio continuou em silêncio à espera, decido fazer uma chamada telefónica para romper com o silêncio, mas não foi correspondido, hoje não me apetece ouvir música e o silêncio continua. Embora sinta a presença do silêncio, sinto que hoje o silêncio já me está a incomodar… sinto a solidão a invadir o meu espaço, mas está quase na hora de adormecer e amanhã novo dia vai começar…

Um comentário:

  1. "O silêncio é um amigo que nunca trai"

    ResponderExcluir